II Ciclo de formação do Pacto pela Alfabetização aconteceu em Ipirá

IMG-20170817-WA0051

 

Aconteceu entre os dias 15 e 17 de agosto no auditório do CETEP Bacia do Jacuípe a formação do Pacto Pela Alfabetização em seu II ciclo. A formação contou o a presença de representantes das secretarias de educação dos municípios do Território da Bacia do Jacuípe.

O II Ciclo foi dividido em duas etapas, nos dias 15 e 16 os trabalhos aconteceram com os Coordenadores Pedagógicos dos municípios e nos dias 16 e 17 com os Coordenadores locais.

As atividades tiveram uma dinâmica intensa. A reflexão sobre as práticas alfabetizadoras abriram os trabalhos, sendo frisadas as propostas interdisciplinares, sinalizando as possibilidades de intervenções nas áreas de Língua Portuguesa e Matemática no Ciclo de Alfabetização.

IMG-20170817-WA0044

O compartilhamento de vivências das situações didáticas sobre modelagem e jogos envolvendo resoluções de problemas em conformidade com os campos conceituais, tendo em vista o planejamento a ser realizado na sala de aula do Ciclo de Alfabetização a partir dos tempos didáticos foram significativos, a troca de experiências enriqueceram e fortaleceram a formação, o que já é uma marca dos encontros do Pacto.

Outros dois momentos se destacaram no II Ciclo:

A avaliação e o monitoramento no Ciclo de Alfabetização, as vivências apontadas na PDAL e PEDAM, levando em conta as especificidades de cada município participante. Monitoramento e controle social da Meta 5 – PNE e a organização do trabalho pedagógico.

 As orientações para elaboração das diretrizes e a constituição do sistema municipal. Fórum comunitário, revisão de conceitos, sistema de ensino gestão, planejamento de políticas locais e o Plano NALFA. Elaboração de diretrizes operacionais municipais da política de ciclos de alfabetização e o Momento Deleite fecharam as atividades do II Ciclo.

IMG-20170817-WA0053

A organização do II Ciclo de formação do Pacto aconteceu sob a articulação e coordenação das professoras Lorena Benevides – NTE 15 e Débora Santana SEC/PNE que informaram também que o III Ciclo de formação ocorrerá em outubro de 2017.

IMG-20170817-WA0036

IMG-20170817-WA0058

IMG-20170817-WA0047

IMG-20170817-WA0037

Ouvidoria do NTE 15 percorrendo os municípios da Bacia do Jacuípe

20170816_152639Ainda cumprindo as metas previstas para 2017 de apresentar as ações do “Projeto Ouvidoria vai à Escola”, projetado pela Secretaria Estadual de Educação da Bahia, a técnica do NTE 15 , Karina Fabris, junto com a diretora do NTE 15, Nívea Maria e o Coordenador da CODEB, Adílio Silva, estão realizando visitas às Unidades Escolares da Bacia do Jacuípe, com ações direcionadas aos Líderes de Classe, representantes do colegiado,  representantes de grêmio e gestores.

20170816_143009Com o projeto intitulado de  “Ser, Conviver e Transformar,”  são apresentados os objetivos da Ouvidoria na escola: Promover a participação da comunidade escolar na gestão; Contribuir com a formação cidadã dos estudantes da rede estadual; Colaborar com o processo de mobilização em torno do Pacto Pela Educação, da melhoria na qualidade da educação e da garantia do direito de aprender, enfatizando sempre a importância da escuta empática, trabalhando a conexão e a relação em grupo, papel do líder na escola, fomentando assim o desenvolvimento  do protagonismo social.

20170816_153733Foram realizados   atendimento individualizados  junto à comunidade escolar, visando receber e examinar denúncias, reclamações, sugestões, elogios e pedido de informações, relacionados à execução das políticas educacionais, fazendo o devido registro no TAG. Também foram encaminhados aos gestores as demandas surgidas  para resolver ou minimizar as situações levantadas , ficando acordado que o NTE 15 sempre acompanhará as intervenções que serão realizadas.

Essa ação estreita os laços entre Líderes de Classe e Gestão Escolar, fazendo da escuta e da participação um instrumento de melhoria da qualidade da Educação em nossas Unidades.

20170816_142951 20170816_152532 IMG-20170808-WA0018 20170816_152551

Estado amplia acesso à bolsa permanência para professores prestes a se aposentar

Retorno as Aulas no Colegio Pedro Calmon (16) ED

 

Os professores que possuem os requisitos para a aposentaria, mas que desejam permanecer em atividade, podem requerer, a qualquer tempo, o benefício da Bolsa de Estímulo à Permanência em Atividade de Classe, implementada pela Lei n° 13.595/2016. A medida é baseada em portaria publicada pela Secretaria da Educação, no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (16). Aqueles que optarem pela bolsa e decidirem continuar lecionando recebem valores de R$ 800, para carga horária de 20h, e de R$ 1.600, para 40 horas. A vigência do recebimento da bolsa é a partir da data da publicação do ato de concessão.
“A Bolsa de Estímulo à Permanência em Atividade de Classe é uma iniciativa que reflete os esforços empreendidos pelo Governo do Estado para melhorar a educação pública. Afinal, estamos tratando de professores com larga experiência, profissionais que dedicaram suas vidas à escola e que, portanto, podem optar em continuar contribuindo com a educação e com a formação dos nossos estudantes”, comentou o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro.
Dentre os requisitos para ser beneficiado, o professor precisa ter completado as exigências para a aposentadoria voluntária nos termos da Lei nº 11.357/2009; estar lotado em uma unidade escolar e ter optado por permanecer em efetiva regência de classe. A Bolsa de Estímulo à Permanência será paga pela Secretaria da Educação do Estado mensalmente e, exclusivamente, durante o ano letivo, e serão levadas em consideração áreas do conhecimento em que haja carência de docentes na rede estadual.
Os professores poderão dar entrada na solicitação do benefício se dirigindo ao SAC Educação, em Salvador e Feira de Santana, ou no Núcleo Territorial de Educação (NTE) vinculado à sua escola. Na etapa seguinte, o setor de Recursos Humanos da Secretaria da Educação apreciará os pedidos para a publicação dos contemplados, por meio do Diário Oficial do Estado.

 

Foto: Claudionor Junior/Ilustração

Encontro reúne 193 gestores escolares em Feira de Santana

gestores-de-educação-720x320

A cidade de Feira de Santana é sede do 6º “Diálogo com Gestores” da rede estadual de ensino. A série de encontros está sendo promovida pela Secretaria da Educação do Estado envolvendo todos os Territórios de Identidade da Bahia, com o objetivo de aliar ações, otimizar processos e fortalecer o eixo pedagógico das escolas. O encontro começou nesta quinta-feira (10) no Colégio Modelo, com as participações do secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, e de técnicos do órgão central, e segue até esta sexta-feira (11).

O diálogo reúne gestores de 193 escolas, de 53 municípios, ligados aos Núcleos Territoriais de Educação (NTE) de Feira de Santana , Serrinha e Ipirá. Pinheiro falou sobre a importância desta troca de experiências. “Este é um processo continuado da Secretaria no que diz respeito à interação e a uma capilarização cada vez maior. Estamos cumprindo um dos compromissos assumidos pelo Governo do Estado, de a Secretaria chegar a alcançar todas as escolas e, ao mesmo tempo, fazer um processo de ausculta, portanto, conhecer o que está acontecendo na ponta, para adotar medidas que possam solucionar os problemas e, também, fazer um caminho de volta, vendo as boas experiências das escolas para melhorar a Educação”, destaca.

Além de palestras, também estão sendo realizados grupos de trabalho para tratar de temas de interesse das escolas. A diretora Isabel Ferreira, do Colégio Estadual João Francisco da Silva, localizado em Itiúba, é uma das participantes e diz que o encontro contribui para melhorar a gestão escolar. “Acho essencial que os técnicos da Secretaria venham até nós para tirar nossas dúvidas, pois contribui para desenvolvermos um trabalho de excelência nas nossas unidades”.


Fonte: Ascom/ Secretaria de Educação do Estado 

Alunos de colégio em Baixa Grande dinamizam estudo de Química com materiais recicláveis

BxGrande JRP

 

Materiais descartáveis e/ou recicláveis, como garrafas pet, balão de borracha e seringa nova sem agulha, estão ganhando uma nova utilidade para os estudantes do 2° ano do Colégio Estadual José Ribeiro Pamponet, no município de Baixa Grande (a 263 quilômetros de Salvador). Tudo isto está sendo utilizado em experimentos químicos e tornando curioso e divertido o processo de ensino e aprendizagem da disciplina de Química.

Para contextualizar o assunto sobre a teoria cinética dos gases, os estudantes realizam três experimentos, que visam o estudo prático do comportamento dos gases. No primeiro experimento, os estudantes verificam a formação do gás diante da variação de pressão, utilizando apenas água morna e seringa. No segundo experimento, eles conferem o comportamento dos gases diante da variação de temperatura usando materiais como garrafa pet, balão de borracha e recipientes contendo água fria e quente. Já no último, é constatada a relação entre pressão e volume do gás com o uso de um balão de borracha e seringa sem agulha.

BxGrande JRP1

“Tais práticas são fundamentais para que os estudantes não enxerguem a Química como algo somente abstrato e sim responsável por estudar todas as transformações que correm no dia a dia do estudante. Além disso, desmistifica o fato de que só se pode fazer Ciência com materiais e substâncias de difícil acesso”, explica a educadora Dalila Dumas.

O estudante Fernando Rios, 16, conta que passou a enxergar a disciplina de outra forma. “Durante as aulas, pude experimentar algo novo ao explorar os meus conhecimentos, pois tivemos a chance de observar as diferentes reações dos gases e os volumes analisados”, afirma.

Segundo David Lima de Melo, 17, os experimentos tornaram as aulas mais produtivas e dinâmicas. “Achei interessante o fato de que para cada tipo de experimento é necessária uma quantidade certa das substâncias. Essas atividades nos ajudam a ter mais atenção e a participar melhor das aulas, porque os assuntos ficam mais fáceis de aprender”, avalia o estudante.

Fonte: Ascom/Educação

Bolsa Família: Escolas têm até 30 de junho para o cadastro da frequência dos estudantes

Bolsa familia 17

 

A Secretaria da Educação do Estado, por meio da Coordenação Estadual do Programa Bolsa Família, convoca todas as escolas da capital e do interior para a realização do cadastro bimestral do registro da frequência escolar dos seus estudantes, referente ao período de abril a maio de 2017. Nesta segunda fase do calendário de acompanhamento, o prazo se encerra no dia 30 de junho (sexta-feira). A coleta da Condicionalidade da Educação é realizada pelo Sistema Presença do Ministério da Educação e tem como objetivo acompanhar a vida escolar do estudante pertencente de família beneficiária do Programa Bolsa Família.
“É necessário que todas as escolas do Estado – sejam elas federais, estaduais, municipais ou particulares – registrem no sistema a frequência escolar das crianças e adolescentes com faixa etária entre 6 a 17 anos, matriculadas na unidade. Considerando que as unidades devem informar, pelo menos, 85% da frequência das crianças de 6 a 15 anos de idade e 75% da frequência dos jovens de 16 e 17 anos”, explica o coordenador estadual do Programa Bolsa Família, Marcos Pinho. Ele ressalta que muitos municípios ainda não realizaram ou não concluíram o cadastro e isto implica na garantia de benefícios para a descentralização dos recursos para essas cidades.
As Condicionalidades no Programa Bolsa Família são instrumentos de promoção e fortalecimento da gestão intersetorial e garantias de qualidade do programa e do Cadastro Único. Corresponde a uma forma de medir a cobertura e o acompanhamento das condicionalidades da Educação e da Saúde, refletindo no desempenho de cada gestão municipal. Na Condicionalidade da Educação, o Índice de Gestão Descentralizada dos Municípios (IGD-M) participa com 25%. É a partir desses índices que os valores são calculados e os recursos financeiros são repassados aos municípios diretamente do Fundo Nacional de Assistência Social para os Fundos Municipais de Assistência Social, respectivamente.
Bolsa Família – Trata-se de um programa que contribui para o combate à pobreza e à desigualdade no Brasil. Foi criado em outubro de 2003 e faz parte do Plano Brasil Sem Miséria, reunindo diversas iniciativas para permitir que as famílias deixem a extrema pobreza, com efetivo acesso a direitos básicos e a oportunidades de trabalho e de empreendedorismo. A gestão do programa é descentralizada, ou seja, tanto a União, quanto os Estados, o Distrito Federal e os municípios têm atribuições em sua execução.
O Programa Bolsa Família –  previsto na Lei Federal nº 10.836/2004 e regulamentado pelo Decreto nº 5.209/2004 – possui três eixos principais: complemento da renda, acesso a direitos e articulação com outras ações.  Todos os meses, as famílias atendidas pelo Programa recebem um benefício em dinheiro, que é transferido diretamente pelo Governo Federal. Para isso, as famílias devem cumprir alguns compromissos (condicionalidades), que têm como objetivo reforçar o acesso à Educação, à Saúde e à Assistência Social, bem como a integração e a articulação de várias políticas sociais, a fim de estimular o desenvolvimento das famílias, contribuindo para elas superarem a situação de vulnerabilidade e de pobreza.

Festejos juninos fecham calendário do primeiro semestre com atividades artísticos-pedagógicas nos colégios estaduais da Bacia do Jacuípe

35077878880_092e792752_o

 

Já é uma tradição! Os colégio estaduais do território da Bacia do Jacuípe transformam o encerramento do primeiro semestre num verdadeiro “arraia” de conhecimento e valorização da cultura sertaneja.

Muita arte, muito forró, muita animação, são muitos ingredientes que fazem do espaço escolar uma referência de consolidação das tradições nordestinas para toda a comunidade. Comidas típicas, arrasta-pé, desfile de carroças estilizadas, quadrilhas juninas, tudo se transforma em conhecimento e festa ao mesmo tempo em todas as Unidades Escolares nessa época do ano.

35077900370_698ce5c0f2_o

O tradicional forró do CETEP Bacia do Jacuípe em Ipirá que começa pela tarde e entra pela noite atrai muitas pessoas já faz parte do circuito do São João da cidade de Ipirá. Os colégios Monsenhor Alcides Cardoso e Professora Maria Bastos Melo também não ficam atrás e realizam os seus festejos com muita alegria e muito forró.

O colégio Pedro Falconeri Rios em Pé de Serra tradicionalmente realiza uma grandiosa gincana cultural que se transformou em um dos maiores eventos juninos da cidade. Na cidade de Nova Fátima o colégio Estadual Virgílio Francisco Pereira realizou outro grande evento com gincana, casamento caipira, desfile de carroças alegóricas pelas ruas da cidade e apresentação de quadrilhas na praça da cidade. O colégio Nossa Senhora da Conceição em Gavião também realizou o seu “arraia” com muita festa e alegria na quadra do colégio e com desfile de grupos juninos pelas ruas da cidade.

35297952602_0897331777_o

Entre os festejos que marcam o encerramento desse primeiro semestre destacam-se os eventos realizados pelos colégios estaduais: Nuclear de Baixa Grande e  José Ribeiro Pamponet em Baixa Grande, Cetep Bacia do Jacuípe II João Campos, Dacilda Rios de Oliveira e Professor Dídimo Mascarenhas Rios em Riachão do Jacuípe, Renato Medeiros Neto e Nossa Senhora de Lourdes em Serra preta, Felipe Cassiano em Várzea do Poço, o Abelardo Moreira em Mairi, o Governador ACM em Várzea da Roça.

Estudantes planejam atividades para as festas juninas e desfile de fanfarras

Festa Junina

Os líderes e vice-líderes eleitos do Colégio Estadual José Ribeiro Pamponet, localizado no município de Baixa Grande, região do Centro Norte Baiano (252km de Salvador) estão realizando encontros para planejar atividades na unidade escolar. Entre as primeiras ações, estão a organização da festa junina que acontece no dia 22 de junho, e reestruturação da Fanfarra para o desfile para celebrar o Dia da Independência (7 de setembro).

Para a estudante do 2º ano, Queila Alcântara, 15 anos, a ideia é promover ações que atraiam os colegas para o comprometimento com as atividades da escola. “Para a organização da festa junina estamos realizando uma arrecadação por meio da competição da Rainha do Milho e rifas, por isso será importante a aproximação de todos os alunos com a atividade. Isso nos une e cria um ambiente legal para todos nós”, destaca. Queila ainda ressalta a vontade de manter a fanfarra mais forte. “Queremos tornar o grupo musical uma ferramenta forte de atividades na escola e vamos lutar por isso. Como uma integrante do projeto esperamos que isso se concretize”, conta.

Fanfarras fazem ensaio coletivo para o 2 de JulhoFoto: Elói Corrêa/GOVBAAtuando pela primeira vez como líder de classe, Daniel Santos, 17, estudante do 1º ano, afirma que a posição dos alunos eleitos é fundamental para mobilizar a escola em atividades como essas. “Só temos a ganhar com essas ações e os líderes e vices da escola estão comprometidos em contribuir com esse momento de renovação na escola. Temos total apoio dos gestores, professores e funcionários, e com a promoção de outros encontros novas ideias vão surgir para movimentar a escola”, diz.

Fotos: Divulgação

Colégio Estadual Berilo Vilas Boas, de São José do Jacuípe, realiza II Simpósio de Leitura

18920526_544517475937867_5729603614773068874_n

O II Simpósio de Leitura do Colégio Estadual Berilo Vilas Boas, no município de São José, foi realizado dia 08 de junho e contou com uma grande participação de público.

O Simpósio é um evento que promove o debate científico e acadêmico a partir das leituras autônomas dos alunos num contexto extra-escolar. Neste ano, foram discutidas e apresentadas as seguintes obras: “Roleta Russa”, apresentado pela aluna Jane Kelly Lima, segunda vez a participar do evento; “A menina que roubava livros” apresentado pela aluna Mírian; “Quem é você, Alasca?”, apresentado por Getulio Gomes Vilaronga Filho, professor da Unidade; “Se eu ficar”, apresentado pela aluna Camilla Ferreira, também segunda vez a se apresentar; “A culpa é das estrelas”, apresentado por Jonedson Rios; “O diário de Anne Frank”, apresentado por Adrielly Souza e “Como eu era antes de você”, apresentado por Fernanda Machado.

18953072_544517802604501_2649467268692124233_nO diálogo foi promovido com o professor Dr. Josemar Martins, popularmente conhecido como Pinzoh, da Uneb/Juazeiro e Paulo Afonso. O Professor Pinzoh falou sobre a importância da leitura e sobre o que estamos lendo num contexto de redes sociais e modismos.

O grupo de Teatro Dona-Tea, por sua vez, apresentou a peça “É por ali um sertão encantado”, num diálogo com as tradições sertanejas e uma releitura dos contos de fadas.

 

19030421_546064699116478_8192570753289024224_n Outras apresentações embalaram a tarde e a noite do Colégio com apresentações musicais, cantorias e apresentação poética sobre Canudos e os Sertões, apresentado pela professora Andreia Peixoto e os alunos do 3º ano do Anexo de Itatiaia.

Um evento marcante e enriquecedor para todos que participaram.

O CEBVB parabeniza a todos e aguarda 2018 para a realização do III Simpósio.

 

18920634_1211953215600485_889837990505470663_n 19059420_546064439116504_5166734265029667698_n 19059164_545027019220246_5395711748245724345_n 19059057_544521135937501_4360983561017707666_n  19030354_544521295937485_2768821875841118071_n 19030320_546064449116503_14660091454598289_n 19029641_545027255886889_3584973314578043415_n 18951276_545027009220247_2961718529157691442_n 18951217_545027095886905_7308255457424127452_n 18951000_544521289270819_9013252015882984485_n 18922138_544518112604470_3952912572631005371_n18920634_1211953215600485_889837990505470663_n

 

Exposição de desenhos “Poéticas e Estéticas” movimenta o Colégio Estadual de Baixa Grande

DSC08855Os estudantes do 1°ano A – ProEI, do Colégio Nuclear, em Baixa Grande, coordenados pela professora de Arte Juscimeire Pampoent, realizaram, no dia 07 de junho, o vernissage da Exposição de desenhos “Poéticas e Estéticas”, percursos criativos com poesias e desenhos em claro-escuro, técnica estudada nas aulas de Arte.

O projeto “Poéticas e Estéticas” consiste no estudo e associação de linguagens artísticas, como a poesia e o desenho, trabalhando-se a gramática de cada linguagem e o seu processo de criação.

DSC08732 DSC08814-Os estudantes aprenderam sobre o desenho, através da observação, criação e releitura, técnicas de sombreamento, composição, conheceram poetas como Ferreira Gullar, António Aleixo, Mário Quintana, Cora Coralina, Cecília Meireles, Maristher Motta Bello e Manoel de Barros, seus poemas que tratam da Arte, do fazer artístico e do ser artista. Interpretaram os poemas por meio de imagens. No vernissage, declamaram os poemas, expuseram seus desenhos e também se deliciaram com o coquetel.

O evento foi um show de talentos! Muita alegria, descontração, emoção e aprendizado marcaram essa manhã.

O projeto teve como objetivos: Construir percursos criativos a partir da associação de poemas e desenhos; Conhecer poetas que escreveram sobre a arte e o artista, utilizando a metalinguagem; Estudar sobre o desenho, seus elementos básicos, tipos e suas técnicas, especialmente, o emprego do claro escuro.

DSC08811- DSC08797-

A realização do projeto justifica-se na busca do entendimento e do desenvolvimento de um processo criativo, que principie a reflexão, discussão, experimentação, caminhos de aprendizagem inspiradora, tendo como meta, o sabor, o gosto de desenhar, de “poetizar”, sabendo que isto “envolve o sofrimento e o prazer diante da criação, o medo e o risco diante do novo, o susto e a fascinação do descobrimento, e a beleza na realização de uma invenção”, como bem diz Maristher Motta Bello.

Com isso, a Unidade Escolar pretende desmistificar o fazer artístico como “dom”; bem como proporcionar a alfabetização estética e a educação dos sentidos dos estudantes possibilitando, no processo cognitivo, a interação entre o perceptivo, o reflexivo, o criativo e o domínio dos códigos culturais.

20170607_08395920170607_094312  20170607_084235 20170607_09531620170607_091309