Secretaria da Educação do Estado lança Cadernos de Apoio à Aprendizagem da área de Linguagens

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC) iniciou, nesta terça-feira (23), uma maratona de lives, com o objetivo de apresentar para os professores da rede estadual de ensino os Cadernos de Apoio à Aprendizagem e as trilhas que compõem os cadernos. Nas  primeiras lives, disponíveis no canal do YouTube da SEC  https://www.youtube.com/educacaobahia1, os educadores autores dos cadernos de linguagens dos ensinos Fundamental e Médio abordaram como o material foi elaborado e as possibilidades de uso com os estudantes. A atividade foi mediada pela professora Kátia Matheó.

A superintendente de Políticas para a Educação Básica, Manuelita Brito, falou sobre o objetivo e estrutura dos cadernos. “Os cadernos são materiais de apoio que ajudam no planejamento e, também, fortalecem tanto o trabalho pedagógico, quanto a autonomia dos estudantes. Organizamos um material que pode ser usado em ambientes on-line ou off-line. Os cadernos estão estruturados, preferencialmente, para o uso digital, com o formato vertical dos conteúdos, observando a questão da leitura e legibilidade. São materiais objetivos e que podem ser acessados por qualquer dispositivo. É importante destacar que os cadernos não substituem os livros didáticos”, explicou.

A professora Márcia Mendes falou sobre o processo de planejamento do material. “Os cadernos foram pensados a partir de nove etapas, com uma sequência de atividades, e nós planejamos à luz das competências e habilidades, que são objetos de conhecimento da Base nacional Comum Curricular (BNCC), e no nosso Documento Referencial Curricular da Bahia (DCRB). As trilhas são uma metáfora do passeio pelos diversos conhecimentos nas diferentes áreas do conhecimento”, afirmou.

O professor Jaildon Góes abordou sobre a elaboração da Trilha de Artes voltada para o 8º ano. “Foi um desafio muito grande participar deste processo e atuei na elaboração da Trilha de Artes, que faz parte da área de linguagens. O foco é a leitura de mundo, que é ler para além da palavra e da imagem. Além da leitura, temos a produção, a criação e o fazer artístico focados no processo criativo dos estudantes. Tão importante quanto também temos a historização, para garantir o processo sociocultural, que é a contextualização dos elementos e das imagens na área de artes visuais, trabalhando a ideia de pensar a imagem dentro do contexto”, comentou.

SEC promove encontro virtual com Núcleos Territoriais de Educação sobre protocolos de início das aulas

Secretário da Educação, Jerônimo Rodrigues

A Secretaria da Educação do Estado (SEC) promoveu, neste sábado (20), um encontro virtual com os dirigentes dos 27 Núcleos Territoriais de Educação (NTE). A agenda faz parte da série de atividades que vêm sendo realizadas pelo órgão de planejamento para o início das aulas. A reunião foi mediada pelo secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues.

Um dos pontos abordados foi o protocolo unificado para as aulas, que vem sendo construído pela frente de trabalho formada pelo Governo do Estado. Além da SEC e da Secretaria Estadual de Saúde (SESAB), a frente de trabalho é composta por diferentes sujeitos da Educação, a exemplo da União dos Dirigentes Municipais de Educação (UNDIME); da União dos Municípios da Bahia (UPB); do Fórum Estadual de Educação da Bahia (FEEBA); da Secretaria Municipal de Educação de Salvador; e da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA). Este protocolo também foi apresentado a órgãos controladores, como o Ministério Público Estadual, Tribunal de Justiça da Bahia e a Defensoria Pública do Estado.

O secretário da Educação do Estado destacou a importância deste diálogo com os dirigentes territoriais da Educação. “Estamos enfrentando inúmeros desafios neste período de pandemia e estes encontros com os nossos gestores são da rotina da Secretaria no sentido de alinhar todas as ações que vêm sendo desenvolvidas até aqui e que serão implementadas, visando o início das aulas, quando for possível”, afirmou o secretário Jerônimo.

Dentre os pontos abordados com os gestores, a superintendente de Políticas para a Educação Básica, Manuelita Brito, falou sobre a base legal, que reúne normativas federais e estaduais voltadas à organização curricular. Ela também falou sobre protocolos de biossegurança e pedagógicos. Já o superintendente de Planejamento Operacional da Rede Escolar, Manoel Vicente Calazans, abordou questões como a matrícula. Para os estudantes da rede, será feita a renovação automática da matrícula e para os novos alunos o calendário de matrícula será publicado em breve.

A diretora do NTE Litoral Sul, Leninha Vila Nova, falou sobre o alinhamento permanente da gestão. “Durante todo este período, há um alinhamento e um irrestrito apoio da Secretaria para o trabalho dos Núcleos Territoriais de Educação. Estas atividades virtuais são fundamentais e falar do protocolo é essencial nesta preparação que vem sendo feita nas nossas escolas em toda a Bahia”, afirmou.

O Diretor do NTE de Santo Antônio de Jesus, Clóvis Ezequiel, também falou sobre os encaminhamentos. “Não é fácil construir este protocolo e isso é fruto também da experiência dos dirigentes da Secretaria. Isso nos anima para seguirmos firmes e fortes, mesmo diante deste cenário tão difícil de saúde pública”.

Foto: Josenildo Almeida

Revista apresenta ações desenvolvidas pela Secretaria da Educação do Estado em 2020

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC) lançou a Revista Educação Bahia, edição 2020. Composta por 76 páginas e produzida pela Assessoria de Comunicação da SEC, a publicação apresenta as ações estratégicas desenvolvidas desde a suspensão das aulas presenciais, pelo decreto governamental n° 19.586, a partir do dia 15 de março de 2020, como prevenção à Covid-19, trazendo um relato de como a gestão respondeu ao cenário marcado pela pandemia, com zelo pela comunidade escolar e valorizando o gasto público.

Ao longo do ano, a Secretaria da Educação do Estado (SEC) desencadeou uma série de ações estratégicas para manter o vínculo com os estudantes, professores, gestores, coordenadores pedagógicos, servidores, colegiados escolares e Núcleos Territoriais de Educação (NTE). O trabalho buscou fortalecer a relação entre a SEC e a escola e a escola com as famílias, e envolveu ações de aprendizagem dos estudantes, a formação de professores e, também, o cuidado e zelo com a saúde física e emocional de educandos e educadores.

Neste sentido, a revista mostra os programas e projetos que foram implementados, compreendendo desde uma política de assistência social, como o Programa Vale-alimentação Estudantil, passando pela manutenção de auxílio-estudantil, como o Mais Futuro; pela testagem diagnóstica para o novo Coronavírus em escolas da capital e do interior; e pela execução de diversas ações pedagógicas voltadas para a aprendizagem, como a disponibilização de conteúdos on-line em diferentes plataformas digitais.

A revista destaca, ainda, investimentos voltados para a reforma, ampliação e construção de novas escolas, com um novo padrão de engenharia, e dos Complexos Poliesportivos Educacionais. Além disso, a publicação trata das parcerias firmadas com instituições diversas para diferentes ações, a exemplo das formações Inicial e Continuada de educadores, gestores e técnicos escolares, incluindo as redes municipais.

Acesse: https://online.fliphtml5.com/xtjl/anpn/#p=12

Foto: Divulgação

SEC e SESAB apresentam indicadores e protocolo de volta às aulas ao Ministério Público do Estado

Indicadores de saúde e a proposta do protocolo unificado de volta às aulas foram apresentados, nesta quarta-feira (18), pelas secretarias estaduais da Educação (SEC) e da Saúde (SESAB) ao Ministério Público do Estado da Bahia (MPE). O encontro virtual faz parte da agenda que o Governo do Estado vem realizando com diferentes atores sobre a retomada das atividades letivas. A iniciativa contou com a participação do secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues; da subsecretária da Saúde, Tereza Cristina Paim; e da procuradora geral do MPE, Norma Angélica Cavalcanti, dentre outras autoridades.

Os técnicos da SESAB apresentaram dados contextualizando a pandemia pelo novo Coronavírus. No Estado, a ocupação dos leitos de UTI, atualmente, é de 74%. A subsecretária da Saúde, Tereza Cristina Paim, falou sobre o acompanhamento de indicadores, como as taxas de mortalidade, ocupação e de casos ativos, que balizam o Estado na tomada de decisão para a volta às aulas presenciais, e que um novo elemento está sendo considerado: as novas variantes do vírus.

A SESAB também apresentou o plano estratégico de biossegurança, que deverá ser seguido tanto pelas escolas públicas quanto privadas, e destacou os reiterados pedidos realizados ao Ministério da Saúde para ampliar a vacinação na Bahia. Os educadores e profissionais da Educação acima de 55 anos deverão ser contemplados na terceira fase da vacina. A previsão, segundo a SESAB, é de que este grupo deveria começar a ser vacinado em março, mas há um atraso do Ministério da Saúde no envio das vacinas.

A superintendente de Políticas para a Educação Básica, Manuelita Brito, fez uma exposição sobre o protocolo unificado (Educação e Saúde) construído para a rede estadual. Falou sobre as normativas legais para assegurar a carga horária curricular; os protocolos de biossegurança e pedagógico. Prestou esclarecimentos sobre a matrícula, que será renovada automaticamente para os estudantes que já estavam matriculados em 2020 e disse que serão abertas as matrículas para aqueles que migrarão de outras redes, conforme calendário a ser divulgado pela SEC. Ela também falou sobre o ensino híbrido, que deverá ser adotado e por meio do qual o estudante passará parte na escola e parte em casa, e da organização didática pedagógica pensada para os estudantes com deficiência.

O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, destacou ações que vêm sendo desenvolvidas pela SEC ao longo deste tempo, disse que a prioridade tem sido resguardar a vida e ressaltou a importância do engajamento de instituições como o MPE. “Todo o cuidado que vem sendo tomado pelo Governo do Estado é no sentido de preservar as vidas das pessoas. Todos nós queremos voltar, mas é importante considerar os indicadores. Para se ter uma ideia, juntando a Educação Básica e o Ensino Superior, a nossa comunidade escolar é de cinco milhões de pessoas, um terço da população do Estado. Estamos com as escolas sendo preparadas, com o regime de colaboração com os municípios fortalecido e este encontro com o MPE valoriza ainda mais este debate”, afirmou.

A procuradora-geral do MPE, Norma Angélica Cavalcanti, disse que o encontro com a SEC foi esclarecedor. “Tudo isso é uma construção neste momento difícil que passa a Bahia, o Brasil e o mundo no combate à pandemia. O MPE está muito preocupado com o retorno as aulas, porque o direito à educação é de matriz constitucional e temos que dar uma resposta do Estado e dos municípios e todos em cooperação junto com a UPB. Estou feliz pela reunião produtiva, com o pronto atendimento da SEC para esta construção”, afirmou.

Secretaria da Educação do Estado promove, nesta sexta-feira (19), live sobre o Programa Mais Estudo

A Secretaria da Educação do Estado (SEC) promove, neste sexta-feira (19), às 14h30, uma live sobre o Programa Mais Estudo. A atividade será transmitida pelo canal do Youtube (Educação Bahia1), com o objetivo de passar informações sobre o programa que foi transformado em política pública de Estado, mediante Decreto de Lei nº 14.306, de 12 de fevereiro de 2021. Com o decreto, a rede estadual de ensino terá 52 mil estudantes monitores para contribuir com a aprendizagem dos colegas, principalmente, em Língua Portuguesa e Matemática.

A live terá a participação do secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues; da superintendente de Políticas para a Educação Básica da SEC, Manuelita Brito; da deputada estadual Olívia Santana, relatora do projeto de lei, que foi aprovado, por unanimidade, pela Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA); e dos estudantes Hugo Souza e Noemi Santos, que irão contar um pouco sobre a experiência deles como monitores.

O programa selecionará dois monitores para cada turma, dentre estudantes do Ensino Médio, da Educação Profissional e do 8° e do 9° ano do Ensino Fundamental, considerando critérios como o bom desempenho acadêmico. O Mais Estudo também contemplará os monitores com uma bolsa de R $100, que será paga no período correspondente aos meses do ano letivo em cada edição do programa. As atividades de monitoria ocorrerão no turno em que o aluno não esteja em atividade escolar e deverão ser comprovadas na forma a ser definida em regulamento elaborado pela SEC.

Estudantes de Casa Nova desenvolvem ração de baixo custo para cães abandonados

Uma das 19 unidades escolares da rede estadual que chegaram à final da 19ª edição da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (FEBRACE), o Centro Educacional Antônio Honorato, no município Casa Nova, participa com o projeto “Ração de baixo custo para cães abandonados em Casa Nova”. Desenvolvida a partir do programa Ciência da Escola, da Secretaria da Educação do Estado, a pesquisa é protagonizada pelas estudantes do 3º ano Emily Thâmara Conceição e Íris Aparecida Silva e Rafaela Souza. A FEBRACE é a maior feira de trabalhos de iniciação científica do país, reúne alunos de todos os estados e, este ano, acontecerá no formato virtual – por conta da pandemia do Coronavírus –, entre os dias 15 e 27 de março. A lista completa dos finalistas pode ser conferida no endereço https://bit.ly/3cCZjJU.

A pesquisa surgiu a partir da observação da crescente quantidade de cães circulando livremente nas ruas de Casa Nova. A professora-orientadora Andréa Passos Araújo conta que o projeto, que teve início com uma pesquisa bibliográfica sobre ração canina, com a parceria de veterinários da região, da Secretaria Municipal de Saúde e da ONG Arca Animal, visou produzir uma ração balanceada, sem conservantes e de baixo custo para cães abandonados. “A ração é de grande importância, pois é uma solução prática, rica em proteína, carboidratos, fibras, vitaminas, gorduras e minerais necessários para sustentar a vida dos cães. Foi produzida com peixe, arroz comum, farelo de aveia, beterraba ou cenoura e azeite de oliva”, explica, ressaltando que o valor do quilo da ração canina de mercado custa de R$ 8 a R$20 e a produzida sai por R$ 5.

A estudante Íris Aparecida, 18, fala sobre a importância do projeto e da sua satisfação em poder contribuir. “Os cães de rua ainda são ignorados por muitos e uma pequena minoria se mobiliza para ajudá-los e nós fazemos parte desse pequeno número de pessoas que se importa. A ração foi pensada justamente para facilitar e mobilizar as pessoas a ajudarem os cães de rua. Procuramos desenvolvê-la com ingredientes de fácil acesso, com custo acessível e que tivesse nutrientes que são essenciais para eles. Participar do projeto significa muito para mim, pois sou apaixonada por animais e ajudá-los enche meu coração de alegria e sou grata por isso”.

A parceira de projeto, Emily Thâmara, 17, completou: “Estar participando desse projeto é extremamente gratificante. Para mim significa mais que alimentar um animalzinho de rua, significa me doar para uma causa tão menosprezada. Cada olhar de gratidão deles me motiva mais ainda a continuar com o projeto”, diz.

ALBA aprova por unanimidade projeto de lei que institui o Programa Mais Estudo na rede estadual de ensino

A Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) aprovou, por unanimidade, nesta quinta-feira (11), o projeto de Lei nº 24.087 do Governo do Estado, que institui o Programa Mais Estudo no âmbito das escolas da rede estadual de ensino. O projeto de lei teve a relatoria da deputada Olívia Santana (PC do B). O Mais Estudo tem o objetivo de estimular a participação dos estudantes em ações de auxílio e reforço de aprendizagem, especialmente nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática.

O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, falou sobre a aprovação. “O Mais Estudo é uma das políticas para a juventude desenvolvidas pelo governo do Estado. Esta aprovação é animadora, ainda mais neste contexto de preparação pedagógica para a volta às aulas quando for possível, pois teremos 52 mil estudantes monitores em todas as escolas estaduais da Bahia”, afirmou.

Como parte do Mais Estudo, cada turma terá dois monitores, que serão selecionados dentre os estudantes do Ensino Médio, da Educação Profissional e do 8º e 9º anos do Ensino Fundamental, a partir das notas obtidas no ano anterior ou no trimestre anterior ao da etapa de seleção. As atividades de monitoria ocorrerão no turno em que o estudante não estiver em atividade escolar.

A bolsa de monitoria, no valor de R$ 100, será paga por período correspondente aos meses do ano letivo em cada edição do programa. O bom desempenho escolar e a frequência regular são os critérios obrigatórios para a concessão da bolsa aos monitores. Em 2019, na fase piloto do Mais Estudo, a Secretaria da Educação do Estado ofertou 10 mil vagas para os estudantes para ajudar os colegas com notas abaixo da média nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática, com direito a bolsas.

Em 2020, ano marcado pela pandemia do novo Coronavírus, os monitores superaram barreiras impostas pelo isolamento social e criaram uma versão virtual do programa, que envolveu o uso de múltiplas ferramentas, como Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA), salas virtuais e grupos de WhatsApp, para manter o contato com os colegas e auxiliar nos estudos. O investimento no programa, em 2020, foi de R$ 4.119.400,00.

A estudante Ana Camila Nogueira, 19, 4º ano do curso técnico em Agropecuária da Escola Família Agrícola Mãe Jovina, em Rui Barbosa, foi uma das monitoras de Matemática no programa, em 2020, e falou sobre a experiência. “A tecnologia foi a minha aliada. Outro ponto que me ajudou bastante foi a bolsa que recebemos”, afirmou.

SEC celebra o Dia Internacional de Mulheres e Meninas nas Ciências com diversas atividades virtuais

Para celebrar o Dia Internacional de Mulheres e Meninas na Ciência, que é comemorado em 11 de fevereiro, a Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC) realizou, nesta terça-feira (11), a mesa temática “Meninas e mulheres: cientistas da Bahia” e a conferência “Mulheres e meninas na Ciência e around the world”, com o objetivo de colocar em visibilidade o papel e a contribuição científica das mulheres. A iniciativa integra uma série de atividades on-line, a exemplo de mesas temáticas e minicursos, que serão realizadas nos dias 12, 18 e 25 de fevereiro, quando também serão destacadas as ações da SEC através do Programa Ciência na Escola. A atividade pode ser conferida no canal do YouTube do Instituto Anísio Teixeira (IAT), no endereço https://bityli.com/mT6op.

A mesa temática foi iniciada pelo subsecretário da Educação do Estado, Danilo Souza, que representou o secretário Jerônimo Rodrigues e falou da importância das discussões sobre a temática. “Este é um momento muito importante de diálogo sobre o papel das mulheres e das meninas na Ciência. É um momento em que precisamos marcar a presença neste debate político de afirmação da importância das mulheres na construção de uma sociedade mais justa e igualitária”, destacou.

A conferência foi apresentada pela especialista em inclusão social, diversidade e estratégia, Zakiya Carr Johnson, que abordou a importância da inserção de mulheres na Ciência. “Estamos em uma grande pandemia e imagine o quanto importante é ter uma carreira na Ciência em vários aspectos. Muitas vezes falamos sobre a dificuldade e o grande desafio para as mulheres entrarem nesse ramo de estudos. Não porque elas não conseguem, mas por tantos obstáculos que existem na entrada de oportunidades para estudar”, destacou.

A secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado (SECTI), Adélia Pinheiro, enfatizou a necessidade de as mulheres reafirmarem constantemente os seus compromissos. “As mulheres sempre estiveram presentes em vários segmentos da sociedade e na produção do conhecimento na Ciência. Mas, frequentemente, essa participação foi ou é invisibilizada e precisamos estar atentos a isso, ao mesmo tempo em que deveremos estar atentos e reconheço e cumpro este papel, pois somos muitas vezes inspiração. Mas precisamos demonstrar o nosso engajamento para que a sociedade possa ultrapassar a invisibilização das mulheres e a falta de oportunidades para as mulheres e meninas”, salientou.

O primeiro dia de discussões ainda contou com a participação das secretárias estaduais de Políticas para as Mulheres (SPM), Julieta Palmeira; e de Promoção da Igualdade Racial, Fabya Reis; e da diretora de Educação Superior da SEC, Ivanilda Amado. Também participaram Marilda Gonçalves, pesquisadora da FIOCRUZ, e Thayná Almeida, universitária egressa da rede estadual.

Programação
 – Nesta sexta-feira (12), às 11h, os professores da rede terão a oportunidade de retroalimentar suas práticas pedagógicas a partir dos relatos de experiências sobre o desenvolvimento das atividades científicas realizadas com os estudantes. No mesmo dia, às 15h, as instituições parceiras na popularização da ciência irão apresentar as ações realizadas, destacando a participação de mulheres e meninas. Nessa mesa, também será lançado o edital da Fiocruz “Meninas baianas na Ciência: conectando passado, presente e futuro”, uma parceria entre a SEC e a Fiocruz. No dia 18, será ofertado um minicurso para orientar estudantes participantes do Programa Ciência na Escola sobre as carreiras científicas nas universidades. Já no dia 25, será realizado o segundo minicurso para instrumentalizar os professores da rede para a inclusão da metodologia da Etnomatemática no processo de ensino e aprendizagem.

Secretaria da Educação do Estado promove série de atividades on-line para celebrar e estimular as mulheres e meninas na Ciência

A Secretaria da Educação do Estado (SEC) promoverá uma série de atividades virtuais para celebrar o Dia Internacional de Mulheres e Meninas na Ciência (11/2). A primeira delas será nesta quinta-feira (11), com a realização da mesa temática, a partir das 11h, sobre “Meninas e mulheres: cientistas da Bahia” e da conferência “Mulheres e meninas na Ciência e around the world”. As atividades, que também serão realizadas nos dias 12, 18 e 25 de fevereiro, destacarão, ainda, as ações desenvolvidas pela SEC, por meio do Programa Ciência na Escola, que estimula o fazer ciência na Educação Básica. Os encontros serão transmitidos pelo canal do Youtube no Instituto Anísio Teixeira (https://www.youtube.com/institutoanisioteixeiraiat).
Para a abertura, nesta quinta-feira, dentre as convidadas está Zakiya Carr Johnson, especialista em inclusão social, diversidade e estratégia, com vasta experiência em desenvolvimento internacional e mais de 20 anos a redefinir políticas públicas. Ela foi consultora sênior e diretora para a Unidade de Raça, Etnia e Inclusão Social do Departamento de Estado Norte-Americano e desempenhou outras funções de relevo junto da Casa Branca, no Governo Obama.

Secretaria da Educação do Estado promove maratona de lives durante a semana sobre o uso de recursos digitais

Professores, gestores e coordenadores pedagógicos das escolas estaduais da rede estadual de ensino aprenderam, nesta segunda-feira (8), a utilizar os recursos digitais Padlet e Mentimeter para a interação com os estudantes e atividades com formulários on-line. A atividade, transmitida no YouTube, no canal (Educação Bahia), da Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC), pode ser acessada no endereço: https://bityli.com/a6zMK. A iniciativa faz parte de uma maratona de lives sobre recursos digitais ministradas por especialistas convidados e que prossegue até o dia 12 de fevereiro. 
A superintendente de Políticas para a Educação Básica, Manuelita Brito, que representou o secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, falou da importância da iniciativa. “O Brasil todo está discutido esta questão do ensino híbrido e, independentemente da data da volta das aulas, certamente o formato será híbrido, que abre possibilidades da gente introduzir outras inovações. Nesta live, os professores conheceram novas ferramentas bem interessantes para o ensino híbrido”, destacou. 
A atividade foi conduzida pelo especialista em tecnologias digitais, Leandro Holanda, que mostrou o funcionamento dos recursos digitais Padlet, usado para a construção de murais virtuais colaborativos, e o Mentimeter, voltado para a criação de apresentações de slides com interatividade. “São recursos leves, que podem ser usados gratuitamente e sem precisar que sejam instalados no computador. E isso é muito importante, pois a probabilidade dos estudantes interagirem é bem maior. O Padlet, por exemplo, é um recurso que pode nos ajudar bastante a coletar evidências de aprendizagem e de participação dos estudantes na educação remota”, explicou.
A programação da maratona de lives segue nesta terça-feira (9), com uma live sobre recursos para baixa conectividade (playlists interativas) e recursos digitais para criar portfólios e livros digitais (SWAY). Na quarta (10), serão apresentados recursos digitais e estratégias para Matemática (geometria e simuladores PHET, Google Street View e Webquests); e na quinta (11), recursos digitais e estratégias para Ciências Humanas, a exemplo de intercâmbios virtuais e museus digitais e para Linguagens, como Book Creator e Wiki. Já na sexta (12), os participantes conhecerão plataformas adaptativas e de personalização (Khan Academy), além de vídeos interativos para a sala de aula invertida (EDpuzzle).