ALUNOS DO COLÉGIO ESTADUAL BERILO VILAS BOAS VISITAM A CIDADE DE CANUDOS, ÚLTIMA ETAPA DO PROJETO “SERTÕES: CANUDOS NÃO SE RENDEU”

7 (1)

O Projeto “Sertões: Canudos não se rendeu”, foi uma iniciativa da professora Andréia Peixoto, orientadora da disciplina de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira no Anexo do Colégio Estadual Berilo Vilas Boas. Apresentado durante a Jornada Pedagógica, o projeto teve total apoio da diretora da unidade, Núbia Oliveira e da coordenadora pedagógica, Alane Carvalho, além de toda equipe de professores, que reconheceram a importância de resgatar a história de um conflito que marcou o Nordeste, principalmente o sertão baiano, e que deve ser reconhecido como a luta de um povo, esquecido, sofrido e massacrado por um governo autoritário, covarde e cruel.

  O principal objetivo da professora era apresentar a história do confronto de Canudos, e levar seus alunos a refletirem sobre a importância que esta luta do sertanejo teve na época e seu legado para o povo de hoje que, de formas diferentes, continua lutando para ter seus direitos respeitados e para não ser explorado por governos autoritários como o que Antônio Conselheiro e os “conselheiristas” tiveram que enfrentar.

   Para alcançar o objetivo do projeto, algumas etapas foram seguidas e realizadas durante dois meses (março e abril), a primeira delas foi solicitar aos alunos que fizessem a leitura da obra “Os Sertões”, de Euclides da Cunha, onde o autor narra a saga do exército brasileiro na luta contra os pobres sertanejos de Antônio Conselheiro, colocando em evidência a dor e a miséria do sertão. Em paralelo à leitura da obra, houve a exposição do contexto histórico do Brasil do final do século XIX e início do século XX e a abordagem da escola literária da qual a obra euclidiana faz parte, o Pré-modernismo brasileiro, o que foi realizado durante as aulas pela professora Andréia Peixoto e reforçado pela professora Clélia Valois, da disciplina de História. A 1ª e 2ª etapas foram realizadas no primeiro mês e o desfecho foi uma avaliação sobre o livro, para uma análise de como os alunos compreenderam a história e o que apreenderam sobre o tema abordado no livro.

6

Na 3ª etapa do projeto, realizou-se uma aula de campo, uma visita à cidade de Canudos, o que aconteceu no dia 27 de abril, e teve apoio da direção da escola, da prefeitura da cidade de São José do Jacuípe e da Secretaria de Educação do município. A viagem foi muito esperada pelos alunos, pois após conhecerem a história da Campanha de Canudos e dos seus personagens, principalmente Antônio Conselheiro, surgiu uma enorme curiosidade de como estaria a cidade hoje, 120 anos após a revolta. O sucesso do projeto concretizou-se, a viagem foi belíssima, os alunos além de curtirem os vários pontos turísticos de Canudos que guardam a história do massacre, demostraram o tempo todo interesse pelo assunto e valorização pelo aprendizado e cultura adquiridos. Participaram desta última etapa: os alunos do 3º ano (vespertino e noturno), a diretora da unidade, Núbia Oliveira, a professora de História, Clélia Valois, e a autora do projeto e professora de Literatura, Andréia Peixoto.

Enfim, além da satisfação de ter alcançado o objetivo do projeto, de perceber a satisfação dos alunos, a turma ainda teve o prazer de realizar a última etapa desse projeto acompanhada de um poeta da cidade de Canudos, José Américo Amorim, o qual convidado pela professora Andréia, foi muito solícito e apresentou a cidade e a história de Canudos ao grupo, de forma alegre e poética, o que deixou os alunos ainda mais interessados pelo tema. Os alunos registraram tudo, fizeram vídeos e fotos, compraram lembranças da cidade e livros com a história de Canudos. Realizou-se visitação Memorial de Canudos, mantido pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB),a Serra do Mirante, que possui uma enorme estátua de Antônio Conselheiro e uma vista incrível para o açude de Cocorobó, e o Parque Estadual de Canudos, que também é mantido e preservado pela UNEB

20 19 18 17 16 10 9 8 7 (1) 6 5 4 3 (1) 2